Investir em uma palmilha para corrigir a sua pisada pode ser melhor que comprar um tênis específico

Investir em uma palmilha para corrigir a sua pisada pode ser melhor que comprar um tênis específico

Muitos corredores sofrem com problemas nos pés, a pisada é um deles. É muito comum que ao pisar o pé fique mais para um lado do que para o outro. Isso não seria nada demais, se não fosse um fator que aumenta o risco de lesões. Corrigir esse problema é necessário e o uso de palmilhas ortopédicas é uma das melhores opções para isso.

Diversos estudos indicam que o uso de palmilhas ortopédicas por corredores reduz em quase 50% o risco de lesões, isso porque elas fazem uma redistribuição da pressão em toda a sola do pé e promovem um alinhamento do membro inferior, o que melhora a biomecânica da corrida, ajudando também a tratar lesões. Além disso, alguns modelos possuem amortecedores colocados nos metatarsos e nos calcanhares, áreas de maior pressão durante a corrida.

É claro que as palmilhas não são a única opção, tem também os tipos específicos de tênis, que são divididos em três categorias de pisada: pronada, supinada e neutra. Mas para a ortopedista Ana Paula Simões a questão é que ninguém tem um lado do corpo igual ao outro e nem sempre pisam da mesma forma com os dois pés.

“A indústria classifica em três tipos, entretanto não existem só esses.  Tem gente que tem um pé com pisada supinada e outro com pronada ao mesmo tempo, mas é claro, que não vai comprar um tênis de cada. Outras pessoas têm o calcanhar para fora e  o dedo para dentro, como essa pessoa vai fazer?! Cada caso é diferente do outro”, explica Ana Paula.

Por isso, na opinião da ortopedista a melhor solução além dos exercícios de correção é o uso de palmilhas personalizadas. “O ideal para o corredor é comprar um tênis neutro e  fazer um teste de pisada, para a partir disso analisar as particularidades do seu pé e a forma como pisa e fazer uma palmilha específica para ele”, afirma.

Ana Paula ainda lembra que assim como a de um calçado convencional, as palmilhas ortopédicas também vão se desgastando com o tempo, por isso é preciso refazer essa avaliação e trocá-las uma vez ao ano ou, dependendo da frequência de uso, até antes para que não percam sua função principal de alinhar uma pisada com a outra. “A pessoa escolhe o modelo que quer e corrige o problema com uma palmilha ortopédica, claro que isso sai um pouco mais caro, mas pode ajudar a evitar futuras lesões e desgastes maiores”, ressalta.

Alguns outros fatores que podem ser aliados ao uso das palmilhas ortopédicas e ajudar na correção da pisada são: escolher o modelo adequado para sua modalidade de corrida – trail é trail, asfalto é asfalto; e revezar o tipo de solo, correndo na esteira, na areia, na grama e não exclusivamente no asfalto, que é uma superfície muito rígida.

Reprodução: Carolina Abrantes/webrun.com.br

Departamento de Comunicação FPA 

 

Comentar

Deixe seu comentário